Precisamos do Dia Internacional da Mulher?

Como-Surgiu-o-Dia-Internacional-da-Mulher-–-História-24-630x340

 

Confesso que me irrita um pouco esse negócio de termos um dia “nosso”, e os mil whatsapps com flores, músicas, corações, piadas ridicularizando os homens, e tudo mais que recebo durante esse dia todo.  Receber parabéns então, sei lá bem o porquê, mas acho uma besteirada, uma forçação de barra.

Mas hoje, vindo de carro para a USP, primeiro ouvi no rádio umas estatísticas terríveis: ano passado, uma média de 500 mulheres foram agredidas (física ou verbalmente) POR HORA no Brasil! E mais: 2 em cada 3 pessoas presenciaram mulheres sendo agredidas, a maioria por pessoas conhecidas, e, seguindo o ditado popular de que “em briga de marido e mulher ninguém mete a colher”, a maioria não fez nada.

Em seguida, percebo espalhados pelo campus cartazes pedindo um basta à violência às mulheres, outros dizendo que as mulheres têm direito a se sentir seguras andando sozinhas, e por aí afora: uma campanha contra violência dirigida à mulher, vítima dentro da maior universidade do país, centro da suposta elite intelectual do Brasil.

Finalmente, em meu lab, fui entrevistada pela TV Cultura para uma matéria sobre mulheres e tecnologia.  A repórter queria muito que eu falasse das dificuldades de ser mulher na ciência – as que senti não acho que sejam específicas da ciência, mas inerentes da biologia e cultura feminina: conciliar profissional com o pessoal, nosso grande desafio (já falei disso no texto “Ser mulher é coisa para macho”)!

Até que ela me perguntou se a mulher é “ensinada” desde cedo a ser inferior.  Lembrei do dia que uma amiga deu de presente para minha filhota Gabi, de 2 anos, um kit de vassoura, rodo e ferro de passar roupa de brinquedo. Fiquei puta! Não há nenhum demérito em limpar a casa e cuidar da roupa, mas alguém daria isso para um menino?! E me dei conta de que de fato, desde sempre, os brinquedos femininos são “do lar” ou maternais (e esse último é um instinto maravilhoso do qual devemos nos orgulhar e aproveitar). Enquanto isso, meninos ganham super-heróis, com os quais imediatamente se identificam, armas e outros objetos que passam a mensagem nem tanto subliminar de liderança.

Isso é uma observação minha, superficial, sem grande metodologia científica envolvida. Mas li recentemente um artigo da Science mostrando que o estereótipo de homens terem mais capacidade intelectual do que mulheres (que se reflete em mulheres buscarem carreiras prestigiosas com menos frequência do que homens) já está presente em crianças de 6 anos!

Pois é, concluo então que talvez nós mulheres precisemos mesmo de um dia Internacional para que o mundo pare e tome consciência dessas barbáries.  Sim, a vida da mulher já foi infinitamente pior (ainda é em alguns países), progredimos muito, principalmente nos últimos dois séculos, mas obviamente ela pode e deve melhorar.


IMG_9634

:Amor digital

Amigos, o amor alcançou uma dimensão digital. (mais…)(mais...)

escultura de agua 1

:Esculturas de… água?

Esculturas de vidro costumam ser associadas à ilha italiana de Murano, mas existem alguns artistas que estão trazendo uma dimensão mais contemporânea à matéria-prima. (mais…)(mais...)

eliana gravida

:Estou em repouso por ordens médicas

Fazemos tudo por nossos filhos e já estou cuidando da minha pequena ainda dentro da barriga com muita dedicação. Por conta de um desses acontecimentos que não podemos controlar, apenas aceitar, estou em repouso por ordens médicas. (mais…)(mais...)

11087 collier aga khan 1971

:Alta joalheria + artesanato japonês

Já reparou como o Japão tem concentrado eventos de moda este ano? Falamos aqui recentemente sobre o desfile da Louis Vuitton em Kyoto e agora é a vez de uma exposição de joias. (mais…)(mais...)

2

:O casamento de Pippa Midleton

Não era um casamento real, mas parecia: no último fim de semana, os olhos do mundo estavam voltados para o casamento de Pippa Midleton, irmã da duquesa de Cambridge, Kate Midleton. (mais…)(mais...)

Maitê-Proença-livro-– Divulgação

:Não sei por que dei pra escrever

Não sei por que dei pra escrever. Não sei se alguém sabe por que resolve se exibir assim. No meu caso a coisa é duplamente grave, já que, sendo atriz, meus atributos se encontram escancarados para muito além do desejável. (mais…)(mais...)